Fixo (11) 5541 9891 Whatsapp e Vivo (11) 9 4467 7459 tratamentodrogasalcool@gmail.com
tratamento alcoolismo

Tratamento para alcoolismo

Apesar de produzir alegrias e relaxamento, o consumo excessivo de álcool destina-se também a aliviar sofrimentos, contribuindo para tolerar o insuportável a medida em que altera o estado de consciência do indivíduo e sua realidade.

O Tratamento para Alcoolismo contempla um olhar para todos os elementos biológicos, psicológicos e ambientais que funcionam como causas.

Causas Biológicas:

Predisposição genética ou hereditariedade – Pesquisas e estudos recentes evidenciam que, em algumas famílias, existem indivíduos que conseguem uma sensação mais agradável ao ingerir bebidas alcoólicas. Esses indivíduos conseguem obter um prazer maior do que as outras pessoas que não nasceram com a predisposição para o alcoolismo. Isso acontece provavelmente por que o organismo do alcoólatra possui quantidades elevadas de enzimas que processam e metabolizam o álcool de maneira mais eficiente.

Psicopatologias associadas – Estudos indicam que a maioria dos alcoólatras apresentam outras psicopatologias como depressão, ansiedade e bipolaridade. É muito comum outros transtornos psiquiátricos estarem associados ao alcoolismo. Para que o tratamento seja eficaz, a equipe multidisciplinar deve diagnosticar precisamente e tratar separadamente cada transtorno. Quando outras psicopatologias são tratadas corretamente, elimina-se um importante fator de risco que poderia levar o alcoólatra voltar a beber.

Causas Psicológicas:

Baixa resistência emocional – Os indivíduos que se tornam dependentes do álcool normalmente apresentam baixa capacidade de lidar com frustrações e situações de angustia. A grande maioria não apresenta recursos mentais e emocionais para conviver adequadamente com as situações difíceis da vida. Enfrentam dificuldades para processar sentimentos e emoções como medo, raiva e culpa.

Características da personalidade – Alta necessidade de se sentir aceito, timidez, irritação, isolamento social e agressividade são fatores de risco que somam para a problemática do alcoolismo. O alcoolista utiliza o álcool para turbinar o desempenho social e minimizar o desconforto de algumas desorganizações de personalidade.

Causas sociais e/ou ambientais:

Os grupos de amigos com seus valores e crenças em relação ao álcool acabam incentivando os que estão próximos a beberem.

As propagandas de bebidas alcoólicas associam álcool ao sucesso e prazer.

O álcool está diretamente relacionado ao lazer e eventos sociais diversos.

Evolução:

A ingestão de álcool provoca alterações de humor, percepção e comportamento. Ocorre um aprendizado cerebral que traz bem-estar durante o uso e sofrimento durante a falta de álcool no cérebro.

As alterações de percepção e comportamento trazem diversos riscos para a vida do alcoolista. Na fase crônica, o alcoólico passa a ingerir álcool para minimizar o desconforto psicológico e físico que a falta do álcool provoca no organismo. Eles acordam suando e com tremores, tensos e irritados. Necessitam beber para se acalmar e continuam durante o dia diminuindo e evitando os sintomas de abstinência.

Internação:

Uma internação é recomendada para alcoolistas que não conseguem parar de ingerir álcool por conta própria. Também é recomendada para alcoólatras que estão correndo riscos de vida por conta de comportamentos alterados. A internação involuntária ou contra a vontade do paciente é eficiente para oferecer ao alcoólatra uma oportunidade de recuperação.

O Tratamento para alcoólatras:

As clinicas para alcoólatras oferecem muitas perspectivas para a reabilitação dos pacientes. Não devemos confundir tratamento para alcoólatras apenas com a eliminação do sofrimento causado pela síndrome de abstinência. O processo é complexo e envolve inúmeras abordagens terapêuticas.

Como o alcoolismo abrange vários elementos que motivam o paciente a continuar bebendo, todos os elementos devem ser anulados para prevenir as reincidências.

A desintoxicação deve ser acompanhada por psicoterapias individuais e participação em grupos terapêuticos de autoajuda.

A abstinência estável entre os pacientes que concluem uma programação é normalmente perto de 90%.

A participação em programas de ajuda mútua é um dos mecanismos de recuperação mais popularizados entre os alcoólatras em recuperação. Muitos programas já foram idealizados com essa finalidade, sendo os Alcoólicos Anônimos a mais famosa entre elas.

clinicas de recuperação

GRUPO REABILITAR 

FONES: (11) 5541 9891 – WHATSAPP Vivo: (11) 9 4467 7459